Seguidores

25 de dezembro de 2012

Bento XVI: Neste Natal imitemos a Virgem Maria


O Papa Bento XVI indultou a seu ex-mordomo Paolo Gabriele, condenado a 18 meses de reclusão em outubro deste ano por filtrar documentos da Santa Sé, revelou o Vaticano neste sábado 22 de dezembro.

O Pontífice visitou Gabriele pessoalmente na prisão do Vaticano onde cumpre sua pena para comunicar-lhe pessoalmente o indulto. Posteriormente, Gabriele foi posto em liberdade e se reencontrou com sua família.

O Pontífice também indultou o programador de informática condenado por cumplicidade no caso de filtração, Claudio Sciarpelletti.

Em suas palavras prévias à oração do Angelus dominical na Praça de São Pedro, o Papa Bento XVI exortou os milhares de fiéis presentes na ocasião a Imitarem a  Virgem Maria neste m Natal, e refletiu sobre a visita de Nossa Senhora a sua parenta Isabel.

O Santo Padre pediu que “imitemos Maria no tempo de Natal, visitando quantos vivem em situações de precariedade, em particular os doentes, os presos, os idosos e as crianças. E imitemos também Isabel, que acolhe o hóspede como o próprio Deus. Sem O desejarmos, nunca O conheceremos; sem aguardá-Lo, não O encontraremos; sem O procurar, não O encontraremos”.

“Com a mesma alegria de Maria que vai às pressas à casa de Isabel, também nós vamos ao encontro do Senhor que vem. Oremos para que todos os homens procurem Deus, descobrindo que é Ele mesmo quem primeiro deve visitar-nos”.

O Papa assinalou que o episódio da visitação, narrado no Evangelho do dia, “não representa somente um gesto de cortesia, mas descreve com grande simplicidade o encontro do Antigo com o Novo Testamento”.

“As duas mulheres, as duas grávidas, encarnam com efeito a espera e o Esperado. A anciã Isabel simboliza o Israel que espera o Mesías, enquanto a jovem Maria leva consigo o cumprimento de tal espera, para o bem toda a humanidade”.

O Santo Padre sublinhou que “nas duas mulheres se encontram e reconhecem sobre tudo os frutos de seus ventres, João e Cristo”.

“A Exultação de João no ventre de Isabel é o sinal do cumprimento da espera: Deus está prestes a visitar seu povo”.

Bento XVI recordou que já “na Anunciação, o arcanjo Gabriel tinha falado a Maria da gravidez da Isabel como prova da potência de Deus: a esterilidade, apesar da idade avançada, transformou-se em fertilidade”.

Isabel, assinalou o Papa, ao acolher Maria “reconhece que a promessa de Deus à humanidade está sendo realizada e exclamou: ‘És bendita entre todas as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre! Quem sou eu, para que a mãe de meu Senhor venha a visitar-me?’”.

“A expressão 'bendita és tu entre as mulheres' é referida no Antigo Testamento a Jael e Judite, duas mulheres guerreiras que intervêm para salvar Israel. Agora é dirigida a Maria, jovenzinha pacífica que está para gerar o Salvador do mundo”.

O Papa indicou que a alegria de João no ventre “recorda a dança que o rei David fez quando acompanhou o ingresso do Arca da Aliança em Jerusalém”.

“A Arca, que continha as tábuas da Lei, o maná e o cetro de Arão, era o sinal da presença de Deus no meio do seu povo. João que vai nascer exulta de alegria diante de Maria, Arca da nova Aliança, que leva no seio Jesus, o Filho de Deus feito homem”.
O Santo Padre enfatizou que a cena da Visitação expressa também a beleza do gesto de acolher. Onde há acolhimento recíproco, escuta, o dar espaço ao outro, disse o Papa,  aí está Deus e a alegria que d’Ele vem.

“A Maria, Arca da Nova e Eterna Aliança, confiamos nosso coração, para que o faça digno de acolher a visita de Deus no mistério do seu Natal”, concluiu.


Fonte: http://www.acidigital.com

Nenhum comentário:

Você é o visitante n.º