Seguidores

18 de dezembro de 2009

Amor de Deus é com "A" maiúsculo, diz Bento XVI


Que sabedoria nasce em Belém? Essa foi a pergunta que o Papa Bento XVI dirigiu aos universitários reunidos no Vaticano para a recitação solene das Vésperas, no primeiro dia da novena de Natal nesta quinta-feira, 17. 

"O que nasce em Belém é a Sabedoria de Deus, um desígnio divino que permaneceu por muito tempo escondido e que o próprio Deus revelou na história da salvação. Na plenitude dos tempos, esta Sabedoria assumiu uma face humana, a face de Jesus", explicou o Santo Padre.

E complementou dizendo que o paradoxo cristão consiste justamente na identificação da Sabedoria divina, ou seja, o "Logos eterno", com o homem Jesus de Nazaré e com a sua história. "A única solução para este paradoxo está na palavra 'Amor', que deve ser escrita com o 'A' maiúsculo, por se tratar de um Amor que supera infinitamente as dimensões humanas e históricas. E é este amor que um professor cristão, ou um jovem estudante cristão, leva dentro de si".

A seguir, Bento XVI comentou sobre a aparente contradição da noite de Natal, em que dentro da Gruta de Belém, para acolher a Sabedoria, havia somente Maria, José e, depois, os pastores. Não havia doutores da lei, escribas ou sábios. O que isso significa? Que não serve estudar?

Os dois mil anos de Cristianismo excluem esta hipótese, afirmou o Papa, e nos sugere a hipótese justa: "deve-se estudar, aprofundar os conhecimentos, mantendo um espírito humilde e simples como o de Maria, 'Sede da Sabedoria'".

"Quantas vezes tivemos medo de nos aproximar da Gruta de Belém porque preocupados que pudesse ser um obstáculo à nossa capacidade crítica e à nossa 'modernidade'! Ao invés, naquela Gruta, cada um de nós pode descobrir a verdade sobre Deus e sobre o homem."

Ajudar os outros a "descobrir a verdadeira face de Deus" é a primeira forma de caridade, acrescentou o Papa, que para os universitários assume a característica de caridade intelectual. 

Bento XVI convidou mais uma vez as universidades a serem locais de formação de autênticos agentes da caridade intelectual, pois deles depende em grande parte o futuro da sociedade, sobretudo na elaboração de uma nova síntese humanística.

Por fim, na passagem de entrega do ícone de Maria Sedes Sapientiae à delegação africana, o Papa confiou à proteção de Nossa Senhora todos os universitários do continente e o empenho de cooperação que nesses meses, após o Sínodo Especial para África, estão se realizando entre as Universidades de Roma e as africanas: "Renovo o meu encorajamento a esta nova perspectiva de cooperação e faço votos que dela possam nascer e crescer projetos culturais capazes de promover um verdadeiro desenvolvimento integral do homem".

Ao término da oração das Vésperas, houve a passagem do Ícone da Sedes Sapientiae, que deixou a delegação australiana e foi para a delegação nigeriana. Coordenado pelo Simpósio das Conferências da África e de Madagascar (SECAM), o ícone passará nos próximos meses pelas universidades africanas.

Nenhum comentário:

Você é o visitante n.º