Seguidores

24 de abril de 2012

Considerar a inspiração de Deus é decisivo para entender a Bíblia, afirma Bento XVI



A inspiração de Deus é decisiva para entender as Sagradas Escrituras, que não ficam confinadas ao escrito mas têm uma força de chamada direta e concreta transmitida através da tradição da Igreja Católica, explicou o Papa Bento XVI.
Em uma mensagem enviada à Pontifícia Comissão Bíblica que ontem concluiu sua assembléia plenária no Vaticano dedicada ao tema “Inspiração e verdade na Bíblia”, o Papa ressalta que este tema é fundamental para “uma hermenêutica correta da mensagem bíblica”.
No texto enviado ao Cardeal William Levada, Presidente da Comissão e Prefeito para a Congregação para a Doutrina da Fé, o Papa ressalta que “a inspiração como ação de Deus faz que nas palavras humanas se expresse a Palavra de Deus. Em conseqüência, o tema da inspiração é decisivo para o adequado enfoque das Sagradas Escrituras”.
“Efetivamente, uma interpretação dos textos sagrados que relega ou esquece sua inspiração não tem em conta sua característica mais apreciável e importante, quer dizer, sua procedência de Deus”, acrescenta.
“Pelo carisma da inspiração, os livros da Sagrada Escritura possuem uma força de chamada direta e concreta. Mas a Palavra de Deus não fica confinada no escrito. Se o fato da Revelação conclui com a morte do último apóstolo, a Palavra revelada continuou sendo anunciada e interpretada pela Tradição viva da Igreja”.
Por isso, prossegue o Papa, “a Palavra de Deus fixada nos textos sagrados não é um depósito inerte dentro da Igreja, mas se transforma em regra suprema de sua fé e potência de vida”.
“A Tradição que encontra suas origens nos apóstolos progride com a ajuda do Espírito Santo e cresce com a reflexão e o estudo dos fiéis, com a experiência pessoal de vida espiritual e a predicação dos bispos”, assegura.
Daí que seja necessário aprofundar no estudo do tema da inspiração e a verdade da Bíblia, já que é “essencial para a vida e a missão da Igreja que os textos sagrados sejam interpretados segundo sua natureza; e a Inspiração e a Verdade características constitutivas dessa natureza”.
Para terminar, Bento XVI manifesta sei apreço pela atividade da Comissão Bíblica na promoção do conhecimento, do estudo e da acolhida da Palavra de Deus no mundo.
(ACI)

Texto retirado de: http://reporterdecristo.com

Nenhum comentário:

Você é o visitante n.º