Seguidores

31 de janeiro de 2010

NAMORO SANTO, CASAMENTO ETERNO * (2ª Parte)

Santidade no Namoro

Todo cristão é chamado a ser santo (Lv 19,2; 11,44s; Ex 22,30; I Ts 4, 3.7; I Pd 1,16). Essa é a nossa vocação! Dois corações quando estão em fase de conhecimento (que é sobre tudo na época do namoro), devem perceber que é momento de muito respeito e compromisso para com o outro. Cultivar a santidade o namoro significa romper com todos os padrões que o mundo está oferecendo para aceitarem a vontade que vem de Deus em purificar o relacionamento entre os dois.


Para que se tenha um namoro santo, os dois jovens (tanto o homem quanto a mulher), têm que desejarem a santidade. Não pode ser o contrário, não pode ser um e o outro não. E nem tão pouco nenhum dos dois. O Namoro santo seria o namoro cristão. Vamos diferenciá-lo do namoro mundano.


Namoro Mundano: Os dois ou um dos dois estão vivenciando as coisas da carne. Festas, farras, baladas, curtições são normais julgando e afirmando de quadrados e radicais os que dizem ou pregam o contrário. Deixam-se levar pelo prazer sexual, alimentando-o encontro após encontro com toques, gestos... Tratam-se assim como um copo descartável e animais ferozes prontos para engolir a presa. Não importa o cuidado pelo coração do outro. Não há compromisso e nem respeito pelo companheiro. O importante é saber que se está “namorando” com alguém independentemente de quem seja para cultivar seus afetos e alimentar seu ego, sem que haja nenhum interesse pelo futuro do namoro (o matrimônio). Abraços compromissados e expressões comprometedoras que nunca deveriam ser usados para outra pessoa em hipótese alguma, uma vez que se tem um compromisso de namoro com alguém, torna-se normal para todas as garotas (ou rapazes) e não faz mal algum. "Ninguém é de ninguém" sempre dá umas voltinhas pelo pensamento de um dos dois ou dos dois, desrespeitando assim, a pessoa que se diz ser amada. Fidelidade não está no seu vocabulário, uma vez que pelo menos entre os amigos comenta-se das gatinhas da cidade armando até, em pensamentos, a maneira de como seria o ato sexual. Não há espaço para aceitar as verdades bíblicas e da Igreja quanto a castidade, virgindade, respeito pelo corpo do próximo. Eu sempre tenho razão e você está sempre errado... Há! Na lua de mel, só há a lua mesmo!!!

O namoro santo é para aqueles que querem preservar todo o seu ser, primeiramente, para Cristo e para a sua Igreja. Não se preocupam com o seu eu, e sim com o do próximo, procurando fazer a vontade do Senhor. Para os dois (e não somente para um dos dois), há sempre o desejo de fazer a vontade de Deus em todas as coisas do namoro. Procuram decidir tudo em harmonia e Oração para o bem comum dos dois. Há no coração de ambos, um desejo profundo de fazer o outro feliz. A fidelidade torna-se a coluna em todos os momentos e o respeito pelos sentimentos e pelo corpo do outro vem em primeiro lugar. Seriedade e companheirismo andam de mãos unidas para criar um clima de harmonia em todas as horas. Quando chega a provação e a tribulação, há sempre a atitude de está ao lado do outro para chorar e orar junto. Quando não há palavras, o olhar e a companhia já é o suficiente para acalmar a tempestade. Expressões de amor e cuidado com as palavras é um desafio para todas as horas. Evita-se o prazer físico para que se preserve para o casamento. A castidade torna-se uma coroa incorruptível para os dois. Ambos procuram está de bem para com o outro e servir a Deus. Não há olhares para mais ninguém e nem alimenta-se conversas comprometedoras em hipótese alguma para qualquer pessoa além da que é dona o nosso coração. O amor existe para aperfeiçoar os erros de ambos os corações. Não existe somente o sentimentalismo barato demonstrado em algumas palavras do tipo: Eu te amo!, mas, ama-se, de verdade, em cada atitude e em cada momento seja alegre ou triste, seja saudável ou doentio. Não se olha o status, o dinheiro, o físico; mas, “aquilo que está invisível aos olhos”... Mais um detalhe: No namoro santo, há sempre o fato de eu ser reconquistado e de eu reconquistar a pessoa amada dia após dia. E claro, o objetivo último do namoro é tornar o outro feliz preparando-se para o matrimônio em que se constitui a família, deixando a ato sexual somente para ou para a partir desse momento.


ELEMENTOS IMPORTATES PARA QUE SE TENHA UM NAMORO SANTO:

- AMOR;
- DIÁLOGO;

- RESPEITO MÚTUO;

- FIDELIDADE;
- COMPANHEIRISMO;

- COMPROMISSO SINCERO E VERDADEIRO PARA COM O OUTRO;
- ORAÇÃO E LEITURA DA PALAVRA JUNTOS;
- RENÚNCIA DOS DESEJOS FÍSICOS QUANTO A SEXUALIDADE;
- COLOCAR DEUS EM PRIMEIRO LUGAR;
- CASTIDADE.


DICAS PARA SE TER UM NAMORO SANTO:

1. Fugir de todo mal humor e irritação;
2. Corrigir os outro com carinho;
3. Nunca grite com o outro;
4. Não jogue no rosto do outro os erros que ele fez no passado;
5. Não seja displicente com o outro;
6. Saiba reconhecer o seu erro quando errar;
7. Nunca se separem brigados um para com o outro;
8. Aprendam a combinar as coisas;
9. Não envolva os familiares nos problemas do namoro;

10. Quando necessário, esteja pronto a sofrer pelo outro.


Livros bíblicos como Cântico dos cânticos e Tobias são importantes para nos trazer orientação.


Reflita as seguintes passagens bíblicas: Gn 2, 18- 25; Ct 4,12; Ef 5, 21-33; I Cor 7,14


Mateus 7, 24-27: CONSTUA SEU NAMORO SOBRE A ROCHA!
"Aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as põe em prática é semelhante a um homem prudente, que edificou sua casa sobre a rocha.Caiu a chuva, vieram as enchentes, sopraram os ventos e investiram contra aquela casa; ela, porém, não caiu, porque estava edificada na rocha. Mas aquele que ouve as minhas palavras e não as põe em prática é semelhante a um homem insensato, que construiu sua casa na areia. Caiu a chuva, vieram as enchentes, sopraram os ventos e investiram contra aquela casa; ela caiu e grande foi a sua ruína."

I Cor 13: MANUAL DO AMOR "Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver caridade, sou como o bronze que soa, ou como o címbalo que retine. Mesmo que eu tivesse o dom da profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência; mesmo que tivesse toda a fé, a ponto de transportar montanhas, se não tiver caridade, não sou nada. Ainda que distribuísse todos os meus bens em sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, se não tiver caridade, de nada valeria! A caridade é paciente, a caridade é bondosa. Não tem inveja. A caridade não é orgulhosa. Não é arrogante. Nem escandalosa. Não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não guarda rancor. Não se alegra com a injustiça, mas se rejubila com a verdade.Tudo desculpa, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. A caridade jamais acabará. As profecias desaparecerão, o dom das línguas cessará, o dom da ciência findará. A nossa ciência é parcial, a nossa profecia é imperfeita. Quando chegar o que é perfeito, o imperfeito desaparecerá. Quando eu era criança, falava como criança, pensava como criança, raciocinava como criança. Desde que me tornei homem, eliminei as coisas de criança. Hoje vemos como por um espelho, confusamente; mas então veremos face a face. Hoje conheço em parte; mas então conhecerei totalmente, como eu sou conhecido. Por ora subsistem a fé, a esperança e a caridade - as três. Porém, a maior delas é a caridade."

Autor: Cássio José (Coordenador do Grupo de Oração Renascer)
cassiouab@hotmail.com

* Formação ministrada no Encontro Mensal de Formação Humana da RCC Camocim, dia 27/01/2010, na Igreja de São Pedro.

Nenhum comentário:

Você é o visitante n.º