Seguidores

13 de março de 2010

ESPIRITUALIDADE QUARESMAL - Quarta Semana

Neste tempo queremos, através da leitura orante, difundir ainda mais a Palavra de Deus no coração da humanidade. Conheça as passagens que vão nos orientar nessa quarta semana.

4.ª Semana da Quaresma

Tema: Anunciar a Palavra – voz da Palavra

Retomando o direcionamento para a espiritualidade da Quaresma, estamos seguindo a moção de ler a Palavra.

Vamos meditar o “anunciar a Palavra – voz da Palavra”. Vamos nos apropriar de sua potência para experimentá-la e assim anunciá-la com mais vigor, deixando que todo nosso ser anuncie a Palavra. Mesmo porque disse Jesus: “Ide por todo mundo e pregai o Evangelho a toda criatura” (Mc 16,15). Em outra citação São Paulo também nos ensina que “anunciar o Evangelho não é glória, é uma obrigação que se me impõe. Ai de mim se eu não anunciar o Evangelho” (I Cor 9, 16).

Para que este anúncio se torne eficaz e a voz da Palavra seja ouvida em nossa vivência, vamos contribuir para que outros encontrem com Jesus através da Palavra e se tornem discípulos. Como nos orienta o Documento de Aparecida 243: “não se começa a ser cristão por uma decisão ética ou uma grande ideia, mas através do encontro como um acontecimento, com uma Pessoa, que dá um novo horizonte à vida, e com isso uma orientação decisiva". Por isso é necessário educar o povo na leitura e na meditação da Palavra.

Durante esta semana vamos ler a Palavra, mas também vamos intensificar nossas orações na intenção de que nossa família também se aproxime da Palavra de Deus. Nosso primeiro campo de missão é a nossa família. Lá a Palavra de Deus deve ser anunciada, pois Ela vai libertar, curar, ensinar, trazer vida nova, alimentar, revelar a verdade, estabelecer a paz e a alegria.

Cada dia desta semana oremos numa intenção de nossa família. Pela oração creiamos que o poder da Palavra irá transformar aqueles que precisam de restauração. “Tal como a chuva e a neve caem do céu e para lá não voltam sem ter regado a terra, sem a ter fecundado e feito germinar as plantas, sem dar o grão a semear e o pão a comer, assim acontece à Palavra que minha boca profere: não volta sem ter produzido seu efeito, sem ter executado minha vontade e cumprido sua missão” (Is 55,10s).

Fiquemos atentos, pois a cada dia teremos uma oração.

Lucimar Mazieiro

Coord. Comissão Nacional de Formação

Domingo - 14/03/2010

Embora estejamos lendo o Evangelho segundo São João, hoje vamos fazer a leitura de Lucas 15, 11-31.

É oportuno, pois além de ser o Evangelho de domingo, também nos mostra a misericórdia de Deus que de braços abertos nos acolhe. Pensemos em tudo que este relato nos ensina. De maneira especial, vamos recordar todas as vezes que tivemos atitude de filho pródigo. Deixemos que a misericórdia de Deus atualize o nosso voltar à casa do Pai.

Aproveitando esta Palavra, apresentemos para o Pai, todos os membros de nossa família que estão distante de Deus e do ambiente familiar. Reflitamos as causas que os levaram a sair da fraternidade familiar.

Com muita fé, vamos anotar o nome desses irmãos e as causas pelas quais eles se separaram. Essa separação abrange todas as áreas, todos os aspectos, tanto na parte sacramental quanto na parte de relacionamentos, de vícios e até de morte.

Hoje, vamos orar colocando esses membros da nossa família diante da misericórdia de Deus. Clamando a conversão, a mudança de vida, a reconciliação, a libertação dos vícios, a restauração da fé, vamos anunciar com todo fervor esta Palavra para os que necessitam voltar para casa, para o abraço do Pai.

Não se esqueça, que não importa onde este irmão tenha andado, rezemos confiantes que o anúncio forte desta Palavra o alcance e provoque o seu retorno.

Após a súplica, louve, porque a Palavra diz que “era preciso festejar e alegrar-se, porque este teu irmão estava morto e tornou a viver, estava perdido e foi encontrado”.

Segunda-feira - 15/03/2010

Retornemos hoje à leitura do Evangelho segundo São João, Capítulo 7.

Após ler todo o capítulo, vamos anunciar em oração os versículos 37, 38 e 39. Por estarmos orando pela nossa família, sabemos que a distância de Deus provoca sede espiritual. Então, oremos trazendo diante de Jesus todos os membros de nossa família que estão perdidos pelo caminho, procurando lugar para saciar sua sede.

Vamos refletir: qual é a maior sede da nossa família?

Diante dessa reflexão, vamos nos ater, clamando que Jesus providencie o momento do encontro com nossa família. Que este encontro faça jorrar no interior de suas vidas “rios de água viva”, que vivifique a fé e irrigue todo terreno interior que se encontrar em deserto, em aridez, improdutivo.

Oremos na certeza de que esta Palavra se tornará para nossas famílias, uma fonte de água viva.

Terça-feira - 16/03/2010

Leitura do Evangelho segundo São João, capítulo 8.

Depois de realizar toda a leitura, vamos reler os versículos de 1-11. Trouxeram uma mulher até Jesus, com o intuito de que o povo a apedrejasse. Jesus, com a plenitude do amor, da sabedoria, disse que aqueles que não tivessem pecado atirassem a primeira pedra.

Muitas vezes nós temos atitudes de atirar pedras. Seja falando, condenando, julgando, criticando. Essa nossa atitude é oposta ao “anunciar a Palavra”.

Queridos, a nossa família não é perfeita. Com certeza já existem em nossas raízes pecados graves. Veja que na própria história de Jesus, existiram também pessoas em diversas situações de pecado. Hoje, ao retomar nossa origem, vamos clamar que Jesus liberte-nos das más inclinações.

Quando tocamos neste assunto, muitos pensam em adultério, aborto, assassinato, suicídio. Mas irmãos, não são apenas essas ações que são pecados. Também é pecado a mentira, a preguiça, a gula, o julgamento, etc. Percebe-se que, de repente, há pessoas em nossa família que se habituaram tanto em dizer mentiras que já não sabem mais qual é a verdade.

Nossa atitude hoje não é de apedrejar, quem não tem pecado. Nossa atitude hoje é de acolher a Palavra: “Ninguém lhe condenou? Nem eu te condeno. Vai e não tornes a pecar”. Esta Palavra precisa ser anunciada em nossa família através de nossa oração.

Oremos com o poder da Palavra, pedindo a conversão de nossa família e a libertação de toda a nossa história.

Quarta-feira - 17/03/2010

Leitura do Evangelho segundo São João, capítulo 9.

Quantas vezes, diante de uma situação de enfermidade, ficamos questionando a Deus? Querendo descobrir o porquê dos sofrimentos. Muitas vezes, até nos revoltamos. Outros não aceitam o que Deus realiza. Enfim, são diversas situações que atingem nossa família. Perceba que nos primeiros versículos ouve um questionamento entre os discípulos a respeito da cegueira. Jesus pontua: “por isso enquanto estou no mundo sou a luz do mundo” (Jo 9, 5), e no final “se fosseis cego não teríeis pecado, mas agora pretendes ver, que o vosso pecado subsiste” (Jo 9, 41).

É irmão! O que causa a maior das cegueiras é o nosso pecado, por isso não conseguimos ver a Deus.

Então, hoje vamos orar pela nossa família, nas intenções dos enfermos do corpo e da alma, das enfermidades físicas e espirituais, das somatizações que tem cegando nossas ações.

Após lermos esta Palavra e iniciarmos a reflexão, oremos e anunciemos estas Palavras para todos os que andam nas trevas. Oremos na certeza de que nossa família será colocada na luz da Palavra de Deus.

O cego acolhe a Palavra de Jesus e professa isso. Ele prostra-se e adora Jesus. Esta Palavra é para nossa família. Todos vão experimentar o toque de Deus pela Palavra orada, vão prostrar-se e adorar o Senhor Jesus, reconhecendo e crendo que Ele é o Filho de Deus.

Quinta-feira - 18/03/2010

Vamos ler todo o capítulo 10 do Evangelho de São João e orar com os versículos 1-21.

Que bom! Jesus, o Bom Pastor, conhece cada ovelha pelo nome “Ele as chama e as conduz à pastagem” (Jo 10, 3). Ele vai adiante delas que O seguem. É interessante que elas O seguem, elas O obedecem, porque “ouvem sua voz”.

Estamos na semana de “anunciar a Palavra – a voz da Palavra”, este Evangelho nos ajuda no sentido de que como as ovelhas ouvem a voz do pastor e a obedecem. Nós como ovelhas precisamos aprender a “ouvir a Sua voz” e “obedecê-Lo”.

Aqueles que ouvem a voz de Jesus não seguem estranhos, em contrário, diz a Palavra “fogem dele” (Jo 10, 5).

Esta Palavra é riquíssima para orar pela nossa família. Quantos ainda não conhecem a voz de Jesus? Quantos talvez ainda estejam nas garras de ladrões? “O ladrão vem para furtar, matar, destruir” (Jo 10,10a).

Hoje é dia de rezar por aqueles que estão perdidos, que estão sendo destruídos, enganados, roubados, que estão fora do aprisco. Hoje é dia de anunciar a voz da Palavra, para que eles aprendam a ouvir Jesus. Hoje é tempo de anunciar a Salvação, ou seja, como Jesus disse: “eu vim para que as ovelhas tenham vida e para que a tenham em abundância”.

Irmãos, hoje é mais um dia, que iremos orar pela nossa família. Apropriemo-nos desta Palavra para que através do anúncio forte, dado pelo poder de nossa oração, toda nossa família seja conduzida ao aprisco do Senhor e possamos ser um só rebanho.

Percebam que temos a unção de Deus para orar pela união de nossa família.

Sexta-feira - 19/03/2010

Nossa leitura de hoje é o capítulo 11 do Evangelho segundo São João.

Esta passagem mostra a glória de Deus. Já no início do relato, ao saber da enfermidade de Lázaro, Jesus diz: “esta enfermidade não causará a morte, mas tem por finalidade a glória de Deus. Por ela será glorificado o Filho de Deus” (Jo 11, 4).

A ressurreição é o sinal mais visível da glória de Deus, manifestada na vida da pessoa que a recebe e na vida dos que veem.

Hoje Jesus pode realizar a ressurreição de nossa família, pois Ele mesmo diz: “Eu sou a ressurreição e a Vida. Aquele que crê em mim, ainda que esteja morto, viverá. E todo aquele que crê em mim, jamais morrerá. Crês nisto?” Esta mesma pergunta, com certeza, é dita a nós.

Então, mesmo vendo algumas áreas da vida familiar que estão morrendo ou já estão mortas, você crê que sua família pode ressuscitar? É claro que sim! Por isto estamos orando com a Palavra.

Hoje é dia de anunciar a ressurreição para nossa família. Lembre-se “Jesus ficou intensamente comovido em espírito” (Jo 11, 33). “Jesus pôs-se a chorar” (Jo 11, 35). E o povo dizia “Veja como Ele o amava” (Jo 11, 36).

Irmãos, vamos apresentar mais uma vez todas as situações de morte que envolvem a nossa família, porque Jesus não ama apenas Lázaro, Ele nos ama também. Ele é a ressurreição, Ele que vai devolver vida para nossa família.

Oremos porque “se credes verás a glória de Deus”.

Sábado - 20/03/2010

Vamos ler todo o capítulo 12 do Evangelho de São João e orar com os versículos 1-10.

Depois de orarmos a semana toda pela nossa família, hoje é dia de oferecermos a Jesus um banquete. Este será realizado com grande louvor e adoração. Vamos presenteá-lo com “nardo puro”. Vamos fazer uma oferta agradável a Jesus e dar a Ele a mais bela oração de louvor.

Durante esses dias, Jesus realizou grandes feitos em nossa família e vai continuar realizando. Então que nosso “nardo puro” seja o mais puro louvor a Jesus. Deixemos que o perfume do louvor encha nossa casa. E que este dia seja um dia de louvor!

Fonte: http://www.rccbrasil.org.br/noticia.php?noticia=5990

Nenhum comentário:

Você é o visitante n.º