Seguidores

11 de abril de 2010

MOÇÕES PROFÉTICAS PARA A RCC

“Pela fé reconhecemos que o mundo foi formado pela palavra de Deus e as coisas visíveis se originaram do invisível.” (Hb 11, 3)

ORANDO COM A PALAVRA

Dizíamos no Encontro Nacional de Formação que as pessoas que se apossaram da Palavra de promessa que Deus nos deu em Isaías 45, 1-3, Sofonias 3, 14-20 e Apocalipse 3, 7-12 e, se apossando da promessa, começaram a orar com essas passagens bíblicas, começaram a ver portas se abrirem e sentenças serem revogadas. Experimentaram também uma mudança em seu interior, o que as motivou a encararem seus problemas de frente e iniciarem um programa de reconstrução de suas vidas.

Carismáticos de todo Brasil começaram, então, a orar com essas passagens e dar testemunho de bênçãos recebidas. Orando com a Palavra, o Senhor nos inspirou a fazermos pedidos específicos com cada uma dessas passagens e usá-las como verdadeiras orações de libertação.

É uma alegria poder partilhar essa inspiração com todos. Assim sendo, a cada semana vamos focar uma das passagens, começando agora com Isaías 45, 1-3.

No versículo um, o profeta diz: “Eis o que diz o Senhor a Ciro, seu ungido, que ele levou pela mão para derrubar as nações diante dele, para desatar o cinto dos reis." Desatar o cinto quer dizer renunciar à luta, portanto aqui vamos clamar, ao Senhor, no poder da Palavra, por todos os problemas de relacionamento, brigas em casa, conflitos no trabalho, no Grupo de Oração, na Diocese. Apresentemos a Deus toda falta de perdão, toda mágoa e divisão, acreditando que uma nova realidade de compreensão mútua, abertura ao perdão, reconciliação e unidade começará a tomar forma nas nossas vidas, o visível se originando do invisível pelo poder da Palavra de Deus que é a matéria prima das novas realidades criadas.

Nessa mesma fé na Palavra, oramos com os versículos dois e três que dizem: “Irei eu mesmo diante de ti, aplainando as montanhas, arrebentando os batentes de bronze, arrancando os ferrolhos de ferro. Dar-te-ei os tesouros enterrados e as riquezas escondidas, para mostrar-te que sou eu o Senhor, aquele que te chama pelo teu nome, o Deus de Israel”. Aqui vamos pedir ao Senhor para manifestar na nossa vida a riqueza de sua providência, apresentando nossas dificuldades na área financeira, bem como desemprego, falta de oportunidades na vida, clamando que se abram novas portas, que se manifestem os frutos do trabalho de nossas mãos e que seja repreendido, no poder da Palavra e no nome de Jesus, o “devorador”, aquele que espalha e dispersa. Proclamemos que Deus, e só Ele é o Senhor de todas as coisas criadas e que a prata e o ouro lhe pertencem.

Ainda com os versículos dois e três, oramos pedindo a Deus que se manifestem as riquezas que Ele colocou em nós, como dons, talentos, aptidões e que surjam novas lideranças, líderes com nova unção, nova sabedoria e maior autoridade espiritual.

Finalmente, pedimos perdão pelas portas que Deus tinha aberto para nós e que nós fechamos por causa de nossa atitude de orgulho e de fechamento à vida por causa de medos, complexos, traumas ou por causa de palavras de murmuração que saíram de nossos lábios. Depois de pedir perdão a Deus, submetemos nossa vida à sua vontade e pedimos que Ele nos dê uma segunda chance e torne a abrir as portas que se fecharam.

A moção que o Senhor nos deu é de orarmos com essa passagem por, no mínimo, 30 dias seguidos, mantendo sempre a atitude de fé e de confiança no coração. Se vacilarmos na fé, rezar o Magnificat e pedir a Nossa Senhora para interceder por nós.

Façamos isso e preparemo-nos para testemunhar o poder da Palavra de Deus em nossa vida.

Fonte: http://www.rccbrasil.org.br/mocoes-profeticas-detalhes.php?mocoes=31

Nenhum comentário:

Você é o visitante n.º