Seguidores

23 de maio de 2012

Dioceses católicas e organizações levam a Administracao de Obama ao Tribunal

Confronto com o Governo Federal sobre a Liberdade Religiosa

- Um total de 43 dioceses, hospitais, escolas e agências da Igreja entraram com 12 processos em vários tribunais dos Estados Unidos como parte da disputa com o governo federal sobre a acao do Department of Health and Human Services (HHS) que obriga as organizações católicas a pagar por contracepção e abortivos.
"O tempo está se esgotando, e nossos preciosos ministérios e os direitos fundamentais estão na balança, por isso temos de recorrer aos tribunais agora", explicou o cardeal Timothy Dolan, de Nova York, presidente da Conferência Episcopal dos EUA (USCCB), em uma declaração ontem.
Os regulamentos introduzidos pelo HHS forçará as organizações católicas e os empregadores a fornecer medicamentos para a inducao do aborto, esterilização e contracepção aos seus empregados gratuitamente.
"Nós tentamos negociar com o Administrativo e o Legislativo no Congresso, e vamos continuar,  mas ainda não há solucao", disse o cardeal.
Cardeal Dolan descreveu a ação legal coordenada como "uma mostra convincente da unidade da Igreja em defesa da liberdade religiosa".
"É também uma grande mostra da diversidade de ministérios da Igreja que servem o bem comum e que são prejudicadas pelo mandato - ministérios para os pobres, os enfermos, e os nao educados, para pessoas de qualquer fé ou nenhuma fé ", acrescentou.
Ao explicar o por que da ação judicial, o Our Sunday Visitor Publicações explicou que a regulamentação pouco define o que constitui um empregador religioso. Como resultado, a grande maioria das organizações católicas, incluindo universidades, hospitais, organizações de caridade, e editoras não se beneficiarao de uma exclusão da obrigação de cobrir os serviços que estão em contradição com a doutrina católica.

Violacao das crencas
"Nossa ação levanta duas questões", disse Gregory Erlandson, presidente da Our Sunday Visitor editora: "Se o governo pode usar esses critérios para definir a religiosidade de uma organização, e se o governo pode obrigar as instituições religiosas e particulares a fornecer e facilitar os serviços que violem suas crenças religiosas.
Um comunicado de imprensa da Arquidiocese de Washington, DC, explicou que é uma parte do processo porque as regras do HHS violam a Primeira Emenda e a lei federal, forçando as organizações católicas a sacrificar as suas crenças, a fim de continuar sua missão de servir todas as pessoas necessitadas.

"Pela primeira vez na história deste país,a  nova definição do governo sobre as instituições religiosas sugere que algumas das próprias instituições que colocam a nossa fé em prática - escolas, hospitais e organizações de serviços sociais - não são suficientemente religiosas, disse o cardeal Donald Wuerl, arcebispo de Washington.
A Universidade Católica da América, é outro dos demandantes. Seu presidente, John Garvey, emitiu uma declaração na qual explicou que, enquanto os protestos iniciais sobre os novos regulamentos levou o Presidente Obama a admitir que as companhias de seguros pagariam pelos serviços obrigatórios, tal compromisso não iria resolver as objeções morais.
Os serviços ainda seriam parte do custo de uma apólice de seguro, que a Universidade Católica e outras organizações religiosas tem que comprar. "No final, a Universidade, seus funcionários e seus alunos serão obrigados a pagar pelas prescrições e serviços que consideram questionáveis", observou Garvey.
"A menos que possamos obter alívio judicial, em breve teremos de tomar medidas em conformidade com uma regra que vemos como imoral", declarou .
Imoral
A Arquidiocese de St. Louis e a Catholic Charities de St. Louis também são parte da ação legal contra o governo federal.  O arcebispo Robert Carlson disse que a ação judicial  não é sobre os anticoncepcionais.
Ele disse que é sobre a liberdade de praticar a religião. "[Liberdade religiosa] é o nosso primeiro, e mais cara liberdade que exige constante vigilância e proteção ou será perdida." Ele acrescentou: "Como um pastor, não posso permanecer em silêncio enquanto o direito dos católicos de praticar a nossa fé é corroído ! "
As ações apenas anunciadas não são as únicas pendentes em relação às regras da HHS. Nos últimos meses uma série de outras organizações católicas entraram com ações em vários tribunais federais.
O Fundo Becket para Liberdade Religiosa está envolvido em alguns desses processos, agindo em nome do Belmont Abbey College, um faculdade catolica de artes fundada por monges Beneditinos, e a Colorado Christian University, uma faculdade evangélica localizada nos arredores de Denver.
Posteriormente, em fevereiro, o Fundo Becket apresentou se em nome da Rede Eternal Word Television (EWTN) e Ave Maria University.

Fonte: http://www.zenit.org

Nenhum comentário:

Você é o visitante n.º